10 lições para equilibrio entre varejo e fornecedores sustentáveis

Publicado originalmente em julho 2010

Empresas sustentáveis são um fenômeno novo no universo dos negócios, sua existência ainda é tênue e como outros fenômenos da natureza possuem seu tempo certo para frutificar em abundância. Entender e apoiar este momento exige comprometimento e firmeza de propósitos.

Grandes redes do varejo correram para se alinhar com as novas tendências de responsabilidade social e ambiental divulgando seus programas de sustentabilidade, mas o problema surge quando estes gigantes começam a se relacionar com pequenos fazendeiros, artesãos e micro-empresas sustentáveis. Read the rest of this entry »

Timberland inaugura loja amiga do meio ambiente em NY

A Timberland inaugurou loja em Nova York construída segundo conceitos ecoeficientes, a marca já possui outras lojas eco friendly em  Chicago, Massachussets, Boston e San Francisco nos EUA e também lojas na Polonia e Italia com este conceito.
A nova loja da marca compensa seu consumo de carbono, foi construída com madeiras reutilizadas para balcões, cadeiras e portas da antiga loja e madeira certificada FSC. Read the rest of this entry »

Gucci lança bolsa com couro sustentável da Amazônia

A grife Gucci lança no próximo dia 4, na embaixada do Brasil em Paris, uma linha de bolsas sustentáveis feitas de couro da Amazônia.

A coleção foi criada em parceria com a National Wildlife e a italiana Livia Firth, fundadora do Green Carpet Challenge (ou ‘Desafio do Tapete Verde’, em que famosos trocam o look inédito por vestidos e ternos sustentáveis ou reciclados em premiações da indústria do cinema) – e também produtora de cinema e casada com o ator Colin Firth. “Acredito que hoje, mais do que nunca, os consumidores preferem as marcas que são legítimas, confiáveis e responsáveis”, diz Livia.
Juntas, as três organizações têm o objetivo de criar coleções com couros de vaca legalmente provenientes da região amazônica que não causem devastação ambiental. Cada bolsa vem com um passaporte que descreve esta cadeia de produção, desde o nascimento da vaca até o produto finalizado manualmente. A matéria-prima é de ranchos de gado certificados pelo Rainforest Alliance – que assegura a prática de justiça social e ambiental assim como um tratamento ético do gado. Read the rest of this entry »

Iniciativa do Instituto Vitae Civilis e da Oxfam apontam caminho para Marcas Sustentáveis

Gigantes do setor alimentício fecham os olhos para a desigualdade no campo

Levantamento realizado pela Oxfam revela desinteresse das maiores empresas do setor sobre problemas socioambientais relacionados às suas cadeias de fornecimento
Brasília, 26 de fevereiro de 2013

A Oxfam, confederação de 17 organizações que lutam pelo fim da desigualdade e da pobreza em 94 países, conduziu avaliação inédita sobre as políticas de compras de gêneros agrícolas das dez maiores companhias globais de alimentos. Read the rest of this entry »

Matte Leão tem primeira fábrica certificada LEED


A marca centenária Matte Leão recebeu a certificação LEED (Liderança em Energia e Design Ambiental) pela fábrica da linha de chás solúveis e infusão Matte Leão, concedida pela organização não governamental U.S. Green Building Council, a certificação é um reconhecimento de que a fábrica, inaugurada em 2009, atingiu à rígida meta normatizada pelo conselho no que diz respeito a padrões sustentáveis de construção civil. Read the rest of this entry »

Marcas Sustentáveis na RIO+20

Uma Marca Sustentável possui atitude e caráter e só age de acordo com seus princípios e valores, ela é construída para permanecer no mercado por muitas décadas e é admirada por seu posicionamento.

Em tempos de Rio+20 e a questão da Economia Verde a Sustentabilidade passa a ser o centro das atenções de empresários e gestores de Marcas no Brasil, é o momento de se entender o que as Marcas podem e devem fazer pela Sustentabilidade.
Para uma Marca ser reconhecida como amiga do meio ambiente ela precisa ter uma Empresa Verde por trás, uma empresa que reconheça o impacto de suas atividades e que exija a gestão sustentável de toda a sua cadeia de fornecedores e também se preocupe com as consequências do ciclo de vida de seus produtos buscando o bem estar de seus funcionários, clientes, um compromisso com a humanidade e de toda a vida ao seu redor.
As empresas vivem no mesmo Planeta que seus clientes, seus produtos e serviços possuem maior ou menor impacto no ambiente comum a todos.
A ideia da sustentabilidade é buscar um equilíbrio responsável entre as dimensões financeiras, humanas e ambientais do negócio. Trata-se de atuar com responsabilidade, integridade e também generosidade, os recursos naturais estão disponíveis para todos e quando uma empresa utiliza a água, o ar ou outros bens da natureza precisa cuidar para que estes recursos sejam preservados e estejam disponíveis para as futuras gerações.
A Empresa Sustentável deve investir em inovação, criar produtos duráveis e buscar reduzir ao mínimo seu impacto e, quando não for possível, compensar suas pegadas com ações efetivas.
Os benefícios são enormes e imediatos, as Marcas Sustentáveis são reconhecidas pelo seu compromisso verdadeiro com ações socioambientais, estas Marcas passam a ter um significado especial e único, seus valores são percebidos e compartilhados pelo seu público que deixam de ser simples consumidores para se tornar verdadeiros defensores das Marcas, seus clientes sentem-se orgulhosos de fazerem parte deste universo, são fiéis e seus maiores fãs.
Luiz Pryzant

TVRIO20 ao vivo via Internet da Rio+20

Uma equipe de 18 profissionais está cobrindo tudo o que acontece na Rio+20 tanto na programação oficial como na extra-oficial com entradas relâmpago da equipe Ricardão, Ricardo e Ricardinho!

A TVRio20 está no ar em média 10 horas por dia ao vivo acompanhando debates, eventos e seus desdobramentos da Rio+20 . Uma iniciativa inédita na internet. Profissionais experientes em mídia impressa e televisão tomam parte dessa jornada em busca da diversidade ambiental dando vez e voz a todos os atores envolvidos nesse processo.

Entre a equipe da TVRio20 estão Ricardo Carvalho, fundador da Tv Meio Ambiente, José Maurício Oliveira, Ricardo Nehrer, Letícia Leite, Antonio Henrique Lago, Darlene Menconi e Ricardo Soares que será o âncora das transmissões.

O patrocínio é do Sebrae e TetraPak! Vale a pena acompanhar aqui

Roupas com pegada?

Sim nossas roupas deixam pegadas de carbono e elas podem ser bem profundas, todo o processo de desenvolvimento de uma peça de vestuário pode ter impactos ambientais maiores ou menores conforme a forma com que são produzidos, os materiais que utiliza e até na forma com serão jogados fora.

A sustentabilidade é o cuidado que se busca ter durante todo o Ciclo de Vida do Produto em seus diferentes estágios.

De forma geral as fases de produção envolvem a produção e processamento de matérias-primas, fabricação, comercialização, uso e a gestão do descarte ao fim da vida dos produtos.

O processo de criação é um estágio importante, pois é na criação que todas estas etapas são planejadas, mas em minha opinião, a Decisão de Compra, ou a hora em que a gente vai escolher uma roupa ou sapato na loja, é a etapa mais importante de todas, quando escolhemos comprar um determinado produto ou ao contrário, deixarmos de comprar outro, podemos conscientemente apoiar ideias ambientalmente positivas e rejeitar produtos sem preocupações ecológicas.

As nossas decisões de compra vão servir como estatística para os estilistas conceberem, para a indústria produzir e para movimentar todo o comércio e o marketing em cima destes produtos.

Então cuidado com o que deseja, seus sonhos de consumo podem se tornar realidade, mas será que estes produtos fazem parte de um futuro sustentável?

Claudio Vaz

O Planeta Terra é a nova vítima da moda

Oscar de La Renta foi o primeiro a falar nas fashion victims, pessoas que simplesmente não conseguem resistir e seguem modismos cegamente, elas são vitimas da moda por serem inseguras e ficam vulneráveis aos assédios do consumismo e jamais conseguem firmar seu próprio estilo.

O problema é que a moda anda fazendo outras vítimas, e não é de hoje! o recente vazamento de petróleo no Golfo do México lembra que a maioria das roupas produzidas no mundo é feita de poliéster, nylon, lycra e outros polímeros derivados deste mineral anti-ecológico.

O mais chato é que as nobres fibras naturais como o algodão, linho e lã também estão na lista dos super vilões da poluição ambiental.

O algodão é o campeão disparado, começa a fazer sujeira na sua origem, está entre as monoculturas que mais utilizam fertilizantes e pesticidas pesados com conseqüências diretas para o ser humano e com alto custo para a fauna, flora e meio ambiente, continua emitindo poluentes ao ser beneficiado, no seu branqueamento e no tingimento e estamparia industrial, e a poluição continua até a nossa casa com as freqüentes lavagens que o algodão exige.

A sorte é que estamos iniciando um forte caminho em direção ao uso de matérias primas com origem renovável, estamos no limiar de uma nova moda, onde o bacana é ser sustentável, muitas Marcas já investem em tecidos orgânicos com pouca ou nenhuma emissão de poluentes.

Os melhores exemplos são os tecidos que utilizam fibras de origem renovável como o algodão e lã orgânicos, bambu, fibra de bananeira, seda, e a viscose que é derivada da polpa da madeira.

Do nosso lado, como consumidores, podemos apoiar este movimento evitando comprar roupas “baratinhas” e escolhendo produtos com certificação de origem.

Amazongreen produz cosméticos com ingredientes da floresta

As essências retiradas da região amazônica de forma sustentável são matérias-primas para a produção de mais de dez perfumes e sabonetes exclusivos.

A empresa apresentou suas linhas de perfumes com nomes das árvores que foram base para os perfumes: Muru, Palmeira, Pitanga, Potapy, Teka e Kotyhu. Também uma linha que traz nos perfumes nomes em tupi-guarani como Kaaty, Tikue, Kamba Kumã e Kamba Kuimba’e. Exóticos, os produtos são preservados naturalmente e não recebem fixador.

A linha de sabonetes também chama atenção pelo perfume único. Possui aromas de guaraná, açaí com argila, melão e pitanga, entre outros. Cada um deles é embalado em folhas secas de pitanga.

Segundo Franscisco Aguiar, diretor da Amazongreen, “o pilar número um da empresa é a extração sustentável”. Os perfumes e cosméticos da Amazongreen são resultado do trabalho de cerca de 40 famílias, de três estados brasileiros, que encontram na extração, no artesanato entre outras atividades, sua fonte de renda.

A Amazongreen possui 2 lojas nos aeroportos de Belém e Manaus, mas não conseguimos encontrar contatos ou website da empresa, quem souber favor avisar-nos.